Apresentação do rosto, de Herberto Helder, vai ter uma nova edição em março. Publicada originalmente em 1968, a obra foi imediatamente apreendida pela censura, não voltando a ser editada. Esta reedição, da responsabilidade da Porto Editora, terá em conta as alterações feitas pelo autor num exemplar que tinha em sua posse e que só foi descoberto pela família após a sua morte, em 2015.

Na edição de 1968, Helder explicou que Apresentação do rosto se tratava de um “livro de um poeta que não receia pôr-se diante do espelho e ver-se em profundidade com os ‘fantasmas’ da sua verdadeira descoberta de homem que procura no tempo a dimensão exata da sua presença no mundo. Através das páginas desta autobiografia romanceada, desde ‘Os Prólogos’ aos ‘Epílogos’, percorremos sempre o mesmo caminho: a aventura de um grande poeta que tenta descobrir os labirintos da vida, encontrar a imagem plena e real da sua condição de homem”.

A primeira grande história da Guerra Colonial e novos livros de Mário de Carvalho e Valter Hugo Mãe: as novidades da Porto Editora

Esta é apenas uma das novidades anunciadas esta quarta-feira pelo Grupo Porto Editora, em Lisboa. No primeiro semestre de 2020, a editora irá lançar ainda um novo livro de contos de Mário de Carvalho, Epítome de pecados e tentações, um conto de Valter Hugo Mãe, Serei sempre o teu abrigo, a poesia completa de Maria Alberta Menéres, uma coletânea de textos de vários géneros ditos e escritos por José Saramago entre 1984 e 2009, organizada por Fernando Gómez Aguilera, e três novos títulos da coleção de poesia de Valter Hugo Mãe: Já Não me Deito em Pose de Morrer, de Cláudia R. Sampaio, A Oratória dos Mansos, de Jorge Melícias, e Torpor, de Luís Adriano Carlos.

Na literatura estrangeira, as apostas da editora incluem Between Them (ainda sem título em português), de Richard Ford, e O Diário de Renia Spiegel, o textemunho de uma vítima do Holocausto. Guerra Colonial, de Aniceto Afonso e Carlos de Matos Gomes, pretende ser a primeira grande história deste conflito e sairá também pela Porto Editora, em abril.

A Livros do Brasil, uma chancela da Porto Editora, vai publicar Os Anos, de Annie Ernaux, uma coleção de contos de Daphne du Maurier, onde se inclui Os Pássaros, que inspirou o filme homónimo de Alfred Hitchock, uma nova edição de O Marinheiro que Perdeu as Graças do Mar, de Yukio Mishima, cujos 50 anos do seu suicídio se assinalam em 2020, Os Canibais e Outros Contos, de Álvaro Carvalhal, e O Caso Mental Português, um novo volume da coleção “Pessoa Breve” que inclui dois textos inéditos.

Deixa-te de Mentiras, de Philippe Besson, vai sair pela Sextante, que irá também publicar O Fim do Armário, de Bruno Bimbi, na não-ficção, e O Rei Recebe, de Eduardo Mendonza, e A Maravilhosa Viagem de Nils Holgersson Através da Suécia, de Selma Lagerlöf, pela primeira vez na íntegra em Portugal, na ficção. A Assírio & Alvim vai voltar a disponibilizar no mercado editorial português três livros de Ruben A., por altura do centenário do seu nascimento: A Torre da BarbelaSilêncio para 4O Mundo à Minha Procura. Textos Dramáticos e Pictopoemas, de Mário Cesariny, e Poesia Completa, de Luís Miguel Nava, vão sair pela mesma editora em abril e maio, respetivamente.