Depois de ter enriquecido com a venda da PayPal à eBay, Elon Musk investiu parte dos 165 milhões de dólares que recebeu a criar a SpaceX em 2002, que transformou no maior (e mais barato) lançador de satélites e no maior visitante da Estação Espacial Internacional. Dois anos depois entrou na Tesla, que passou a liderar e que transformou num sucesso. O inovador empresário já provou estar muito à vontade a conceber veículos para a terra e para o espaço, mas agora sabe-se que… dançar não é com ele.

Na cerimónia que a Tesla organizou na Gigafactory 3, em Xangai, Elon Musk foi mais uma vez o cicerone e festejou o arranque das entregas dos primeiros Model 3 fabricados na China aos clientes locais. O CEO aproveitou igualmente a ocasião para lançar o Model Y, também ele a ser produzido na China, em paralelo com os EUA, de onde saem as unidades destinadas à Europa.

Talvez por estar particularmente animado por a Tesla ter conseguido começar a fabricar o Model 3 apenas 10 meses depois de o primeiro tijolo ter sido colocado no solo, já para não falar da antecipação da entrada do Model Y em produção, especialmente depois das confusões em torno do lançamento do Model 3, com atrasos sucessivos – demonstrando que a marca americana aprende com os seus erros –, Musk resolveu dar um pezinho de dança.

Sem qualquer sombra de complexos, Musk ensaiou uns passos que levam a crer que, quando era jovem, terá passado muito mais tempo a inventar o PayPal do que em noitadas nas discotecas. Imbuído do ritmo, ousou atirar o casaco para a chinesa que com ele dividia o palco, como se se tratasse do foguetão Super Heavy da SpaceX rumo a Marte. E ainda lhe sobrou tempo para brincar com ele próprio e com os seus dotes de dançarino. Veja aqui como foi: