Morreu a irmã do rei emérito de Espanha, avançam os jornais espanhóis. Pilar de Borbón, de 83 anos, sofria de cancro do colón e tinha sido internada há um dia. Morreu esta quarta-feira, dia 8 de janeiro, em Madrid rodeada dos filhos, dos netos, da irmã e dos reis eméritos.

A duquesa de Badajoz e infanta de Espanha fora diagnosticada com cancro do colón há um ano. Foi em maio de 2019 que Pilar, que à semelhança de Juan Carlos se submeteu já a inúmeras intervenções cirúrgicas ao longo dos anos, confirmou a doença. O seu estado de saúde foi tornado público poucos dias após o irmão ter anunciado a sua retirada da vida pública, aos 81 anos. Mãe de cinco filhos, era a irmã mais velha do antigo rei de Espanha, Juan Carlos — tinham apenas um ano de diferença.

María del Pilar Alfonsa Juana Victoria Luisa Ignacia de Todos los Santos de Borbón y Borbón, o nome completo da infanta, nasceu em Cannes a 30 de julho de 1936. Filha de Juan de Borbón e Battenberg, conde de Barcelona, e de María de las Mercedes de Borbón e Orleans, infanta de Espanha, foi a primogénita do casal e foi tratada como Alteza Real desde o berço.

De acordo com o El Español, viveu a infância em exílio. Primeiro em Cannes, depois em Roma e no Estoril, em Portugal. Regressou a Madrid quando o irmão Juan Carlos foi proclamado rei, em 1975.

Foi enfermeira de profissão, tal como conta o El País, e fluente em várias línguas, incluindo inglês, francês, português e italiano. Em vida foi uma apaixonada por música e pelo hipismo — foi inclusivamente presidente da Federação Equestre Internacional entre 1994 e 2005. A infanta dedicou também grande parte da sua vida a associações de caridade. A última aparição pública aconteceu no passado mês de novembro.

Em setembro de 2019, o Observador publicou um perfil completo sobre a vida de Pilar de Borbón.

Da infância no Estoril aos Panama Papers. A história da Infanta Pilar, a “velha tia rabugenta”