A Arábia Saudita condenou, esta quinta-feira, o ataque levado a cabo pelo Irão contra bases iraquianas onde se encontravam forças norte-americanas, considerando-o como uma “violação iraniana da soberania do Iraque”.

“O reino denuncia e condena a violação iraniana da soberania do Iraque”, refere um comunicado divulgado pela agência de notícias saudita, a SPA, e citado pela AFP.

O Irão lançou, na noite de terça para quarta-feira, mais de uma dezena de mísseis balísticos de curto alcance contra bases com militares norte-americanos no Iraque, em retaliação ao assassínio do general Qassem Soleimani, o principal líder militar iraniano, durante uma operação organizada pelos Estados Unidos da América, que conduziu ao da escalada de tensão entre os dois países.

Vem aí uma guerra EUA-Irão? A tensão diminuiu, mas o perigo mantém-se

Donald Trump decidiu não responder militarmente ao ataque iraniano. Contudo, esta quinta-feira, líderes militares iranianos de topo surgiram com uma retórica mais forte para avisar que a vingança pela morte de Soleimani ainda não chegou. A Guarda Revolucionária (forças armadas iranianas) “vai impor uma vingança mais dura sobre o inimigo num futuro próximo”, prometeu o comandante Abdollah Araghi, em declarações à agência iraniana Tasnim, citadas pela Associated Press.