“A Mozilla [que detém o Firefox] lançou atualizações de segurança para solucionar uma vulnerabilidade no Firefox e Firefox ESR. Um invasor [pirata informático] pode explorar essa vulnerabilidade para controlar o sistema afetado”. O aviso foi feito esta quinta-feira pela Agência de Cibersegurança e Segurança de Infraestruturas (CISA, nas siglas em inglês) dos Estados Unidos da América.

Em comunicado, a Mozilla classificou a falha de segurança como “crítica” e avisou que “tinha o conhecimento de ataques que abusaram desta falha”, à semelhança da CISA. Como revela a Mozilla, a falha foi encontrada por investigadores da empresa chinesa de cibersegurança Qihoo 360.

Como explica o ArsTechnica, um site especializado em software, a falha encontrada é um tipo de erro que permite que quem se aproveite dela possa aceder e manipular ficheiros no armazenamento de um computador.

Caso seja utilizador do Firefox e as atualizações automáticas não estejam ativadas, pode fazê-lo nas definições do browser.

O Mozilla Firefox é o browser e produto mais conhecido da Mozilla Corporation e está disponível para a maioria dos sistemas operativos. Atualmente, num mercado com cerca de 65% dos utilizadores a utilizarem o Google Chrome, o Firefox tem cerca de 4,3%.