O Twitter, a rede social preferida de líderes mundiais como o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira que vai permitir aos utilizadores apagarem respostas aos tweets (partilhas no site) que publicam ou mesmo impedir que as publicações tenham respostas. Até agora, ao publicarem algo, os utilizadores apenas podiam, no máximo, ocultar as respostas, sem as poderem apagar continuando estas visíveis caso alguém quisesse ver.

A divulgação desta medida, que será implementada durante 2020, ocorreu na conferência da rede social na CES, um dos maiores eventos de tecnologia do mundo que está a decorrer em Las Vegas, nos EUA. De acordo com o Twitter, como conta o The Verge, o objetivo da funcionalidade é criar um ambiente mais “saudável” para os utilizadores e impedir a propagação de desinformação.

Como revelou Suzanne Xie, diretora de produto do Twitter, ao publicar um tweet cada utilizador vai passar a ter quatro opções para a visualização pública de cada partilha: “Global”, atualmente a disponível, que permite que qualquer pessoa responda; “Grupo”, só quem segue o utilizador ou é mencionado no tweet é que pode responder; “Painel”, só quem é citado no tweet pode responder; e “Declaração”, em que ninguém pode responder.

Estas funcionalidades vão começar a ser testadas até março. Quanto a possíveis problemas que possam surgir — um tweet que não pode ter resposta pode propagar mais a desinformação do que preveni-la — Xie disse que a empresa vai “monitorizar de perto os testes”.

Além desta mudança, o Twitter quer lançar um novo formato de respostas a partilhas que permita ver no mesmo ecrã todos os comentários que surgiram no âmbito de uma partilha. Adicionar-se-á também no futuro a estas alterações a possibilidade de os utilizarem poderem passar a seguir tópicos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR