Uma base aérea com tropas norte-americanas no Iraque foi atingida com vários rockets este domingo. Ao todo, terão sido oito os rockets disparados para a base aérea.

A agência de notícias France Presse começou por citar “fontes militares” que contabilizavam quatro rockets entre os disparados. Já o Jerusalem Post chegou a noticiar, citando a Sky News Arabia, que foram cinco e não quatro os rockets que atingiram esta base. A agência Reuters apontava por sua vez que se tinha tratado de um ataque com sete morteiros.

Os relatos do ataque e do número de morteiros e explosivos que atingiram a base aérea iraquiana vão variando, mas o Exército do Iraque terá publicado uma declaração, segundo a estação Deutsche Welle, em que refere que “oito rockets Katyusha [Katyusha é um modelo militar de lançador de foguetes] foram disparados para a base aérea de Balad, num ataque este domingo, atingindo a pista e a porta”.

A base está localizada na cidade de Balad, situada a 80 km norte de Bagdad. Forças de segurança citadas pela AFP e pela Reuters chegaram a dizer que “quatro pilotos iraquianos tinham ficado feridos”. A estação Al Jazeera, contudo, cita o testemunho de uma autoridade local que diz que foram três os pilotos feridos:

Três soldados iraquianos, que estavam de guarda à porta da base área, ficaram feridos como consequência dos bombardeamentos”, apontou o coronel Mohammed Khalil, que trabalha na província iraquiana de Saladin.

Segundo as fontes militares ouvidas pela AFP, “a maioria dos pilotos norte-americanos” que estavam destacados para a base aérea em questão já a tinham abandonado, “na sequência da tensão entre EUA e Irão nas últimas duas semanas”. Uma fonte militar disse aliás à mesma agência que ao todo “não estão mais do que 15 soldados norte-americanos e um único avião” na base aérea, no presente.

A autoria do ataque ainda não foi reclamada, lembra a Al Jazeera. O secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo já comentou os incidentes. Na rede social Twitter, Pompeo afirmou estar “indignado” com “mais um ataque com rockets a uma base iraquiana”.

Razo pela recuperação rápida dos feridos e insto o governo do Iraque a responsabilizar os autores deste ataque ao povo iraquiano. Estas violações contínuas da soberania do Iraque por grupos rebeldes ao governo iraquiano tem de acabar”, apontou.

Na última semana o Irão lançou mais de uma dúzia de mísseis contra duas bases iraquianas, em Ain al-Assad e Arbil, que albergam tropas norte-americanas. Essa ação foi assumida pelos Guardas da Revolução iranianos como uma “operação de vingança” da morte do general Qassem Soleimani, comandante da força de elite Al-Quds, que morreu num ataque aéreo em Bagdad, capital do Iraque, ordenado pelo Presidente dos EUA, Donald Trump.