Um antigo pintor de construção civil conhecido por “Farfalha” foi esta segunda-feira condenado a 11 anos de prisão num processo em que foi acusado dos crimes de violação, abuso sexual e recurso à prostituição de menores. A sentença foi proferida no Tribunal Judicial de Ponta Delgada.

O homem, de 52 anos, já tinha sido condenado em 2005 num caso de pedofilia na ilha de São Miguel e em outubro de 2019 voltou a tribunal para ser julgado, à porta fechada, pela prática de três crimes de violação de menores, um crime de coação sexual de menor, dois crimes de recurso à prostituição de menores e um crime de tráfico de estupefacientes agravado.

Em 2005, o arguido tinha sido condenado a uma pena única de prisão de 14 anos, tendo saído em liberdade condicional em 2013.