O antigo Presidente moçambicano Joaquim Chissano defendeu esta quarta-feira que a promoção do emprego deve ser prioridade para o ciclo governativo que se iniciou  com a tomada de posse de Filipe Nyusi na chefia do Estado.

Emprego é uma questão de desenvolvimento, não é algo que se compre na loja, faz-se conforme o desenvolvimento”, disse Joaquim Chissano, em declarações aos jornalistas, à margem da cerimónia de investidura de Filipe Nyusi.

Chissano, que chefiou o estado moçambicano entre 1986 e 2015, assinalou a necessidade de formação profissional dos jovens, de modo a estarem aptos para o mercado de trabalho e autoemprego. “Temos de ensinar a juventude a inovar e inventar, incluindo inventar o que fazer para a sua vida e seus amigos”, acrescentou.

A agricultura, prosseguiu, é uma área com um grande potencial para o emprego de jovens e o país tem feito investimentos para capitalizar o setor. “O Presidente da República empenhou-se em renovar vários regadios, estradas e pontes, expandir energia e criar bancos. É preciso que utilizem isso”, defendeu.

Filipe Nyusi foi esta quarta-feira investido em Maputo para o segundo e último mandato na Presidência da República, na sequência da sua vitória nas eleições presidenciais de 15 de outubro.

As eleições presidenciais realizaram-se em simultâneo com as legislativas e provinciais, tendo a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), partido no poder, vencido o escrutínio.