Os Estados Unidos ameaçaram impor novas tarifas às importações de automóveis da Europa para pressionar os países europeus a denunciarem o Irão por incumprimento dos compromissos assumidos no acordo nuclear, confirmou a ministra da Defesa alemã.

“Essa ameaça existe”, disse Annegret Kramp-Karrenbauer numa conferência de imprensa em Londres. A ministra foi questionada sobre um artigo publicado esta quinta-feira pelo Washington Post, segundo o qual o Presidente norte-americano, Donald “Trump ameaçou secretamente [França, Reino Unido e Alemanha, os três países europeus signatários do acordo de 2015] impor direitos alfandegários de 25% sobre os automóveis europeus” se não acionassem o mecanismo de resolução de conflitos do acordo.

O acordo foi posto em causa depois de os Estados Unidos decidirem retirar-se dele unilateralmente, em maio de 2018, e restabelecer sanções económicas ao Irão. Em resposta, Teerão decidiu, a partir de maio último, deixar de respeitar alguns dos compromissos do acordo, que limitava grandemente a sua atividade nuclear.

Os três países europeus subscritores do acordo de 2015 anunciaram na terça-feira ter desencadeado a cláusula de resolução de diferendos constante do pacto para pressionar o Irão a aplicar integralmente as disposições do documento. Em reação a esse anúncio, o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, escreveu no Twitter que Londres, Paris e Berlim “venderam os restos [do acordo] para evitar novas tarifas de Trump”.