O fundo de investimento BlackRock voltou a ter posição qualificada na Jerónimo Martins, depois de atingir os 2%, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Assim, a Jerónimo Martins informa que esta sexta-feira, a BlackRock comunicou que, “a 16 de janeiro de 2020, passou a deter direitos de voto superiores ao limite de participação de 2%”, depois de ter aumentado a sua posição na dona do Pingo Doce.

Esta participação inclui 1,90% de direitos de voto ligados a ações e 0,10% detidas através de instrumentos financeiros, de acordo com a mesma informação.

No dia 10 de janeiro, a BlackRock comunicou à Jerónimo Martins que, a 9 de janeiro de 2020, tinha alienado “direitos de voto, ficando abaixo do limite de participação de 2%”.

Como resultado destas operações, a BlackRock tinha 1,99% de direitos ligados a ações e a instrumentos financeiros na Jerónimo Martins, segundo um comunicado enviado à CMVM, nesse dia.

A Jerónimo Martins fechou esta sexta-feira a sessão na bolsa de Lisboa a subir 0,06%, para 15,65 euros.