Embora possua apenas um modelo electrificado, o C5 Aircross Hybrid, de que já aqui lhe falámos, os planos da Citroën passam por rapidamente ampliar a sua oferta de modelos mais amigos do ambiente, seja com soluções híbridas plug-in (PHEV), seja com mecânicas puramente eléctricas. Num e noutro caso, a marca francesa da PSA alinha pela filosofia dos restantes fabricantes que compõem o grupo, optando por pouco distinguir as variantes PHEV e BEV das tradicionais versões com motor de combustão.

Ainda assim, a Citroën considera essencial ter uma nova imagem para esta nova era e, por isso, não só criou um slogan específico para a promoção comercial dos seus modelos electrificados, como apresentou o detalhe que as vai diferenciar. O pormenor, que é capaz de passar despercebido a muitos, recai no trema.

As versões híbridas distinguem-se pelo “h” e as eléctricas pelo “e”, mas em ambos os casos as letras têm diérese, evocando assim o sinal ortográfico que distingue a própria marca. Segundo a Citroën, no caso dos eléctricos, a opção pelo “ë” permite ainda remeter de imediato para a tecnologia eléctrica.

3 fotos

Simultaneamente, a comunicação também vai reflectir o investimento numa mobilidade mais sustentável. Desde 2017 que o claim da Citroën é “Inspired by you”, mas esta assinatura passa a incluir a palavra “all” (todos), para aludir à democratização dos veículos electrificados.

Durante 100 anos, a Citroën democratizou o automóvel. Em 2020, a Citroën vai democratizar a electrificação”, promete o fabricante.

Para tal, não basta apenas introduzir o C5 Aircross Hybrid. É esperado o C4 a bateria, que pode vir a ser apresentado já no próximo dia 27 de Fevereiro, data para a qual a Citroën programa “uma nova etapa”. A estes dois lançamentos, já confirmados, deverão somar-se mais quatro novidades ao longo deste ano, embora não sejam avançados mais detalhes.