O Presidente russo, Vladimir Putin, disse este sábado que se opõe à ideia de um mandato ilimitado para o líder do país, como existia na União Soviética.

As declarações do líder russo foram feitas num encontro com veteranos de guerra em São Petersburgo, dias depois de ter anunciado alterações constitucionais que podem ajudá-lo a permanecer no poder após o fim do seu mandato presidencial em 2024.

Quando um dos veteranos sugeriu mandatos presidenciais sem limites, Putin respondeu: “seria perturbador voltar aos anos de 1980, quando os líderes iam ficando no poder até ao fim dos seus dias”.

Putin cumpriu dois mandatos presidenciais entre 2000 e 2008, antes de ocupar o cargo de primeiro-ministro durante quatro anos, regressando às funções de Presidente em 2012, depois de os mandatos terem sido alargados de quatro para seis anos.

Observadores citados pela agência noticiosa Associated Press (AP) têm especulado que Putin poderá permanecer no poder após 2024 e ocupar de novo o cargo de primeiro-ministro, após ter defendido mais poderes para o parlamento e para o executivo, reduzindo os poderes presidenciais.