Silas descreveu a exibição do Sporting no dérbi como “razoável” e, à semelhança do que aconteceu no clássico com o FC Porto, destacou o arranque de segunda parte em que os leões foram superiores na posse, nos remates e no próprio domínio do encontro. No entanto, e no final, o resultado foi o mesmo: com mais um desaire em Alvalade, o conjunto verde e branco passou a ter a pior campanha de sempre na condição de visitado, tendo perdido metade dos oito encontros realizados (três deles curiosamente contra os três primeiros classificados).

O futuro próximo do Sporting foi um dos pontos mais focados na conferência de imprensa do técnico leonino, com a equipa a 19 pontos da liderança (e a 12 dos lugares que dão acesso à qualificação para a Champions) na Primeira Liga, sem Taça de Portugal, ainda na Liga Europa e na antecâmara da Final Four da Taça da Liga.

A Taça da Liga tem a mesma importância, queremos ganhá-la. Não acho que tenha mais importância pelo resultado de hoje. O Sporting é o vencedor em título e queremos defender esse título, por isso tem a mesma importância que tinha se tivéssemos ganho ou empatado”, começou por dizer Silas.

“Foi um jogo muito dividido, disputado. O Benfica foi melhor na primeira parte, nós na segunda e quando estávamos melhor foi quando o Benfica fez golo, que nos mandou um bocado abaixo. Tivemos ocasiões de golo, não tantas como contra o FC Porto, mas tivemos algumas. A estatística vale o que vale, mas a nível de números estamos muito similares. Fizemos um jogo razoável, um jogo disputado contra uma equipa boa. Eles marcaram e nós não, acabámos por perder 2-0 num jogo em que acho que o empate se ajustava pelo que as equipas fizeram”, referiu ainda, numa análise mais global ao dérbi que deixou também o Sp. Braga mais perto dos leões.

No entanto, o tema principal acabou por ser o mercado e a possibilidade de vir a perder Bruno Fernandes nos dias que se seguem, até antes da Final Four da Taça da Liga num cenário limite. “Torna-se inevitável falarmos sobre o mercado. Precisamos de gente que nos ajude, que torne o plantel mais competitivo”, assumiu.

“Não sei se vou ter Bruno Fernandes, à partida penso que sim. Vou preparar o jogo com o Bruno; agora, daqui até lá não sei o que poderá acontecer. É um jogador que ambiciona jogar numa liga superior à nossa. Que jogador não gostaria de jogar na Liga inglesa? É difícil dizer-lhe ‘não vás’. O Bruno merece experimentar uma liga dessas e a melhor realmente é essa. Se ele é dos melhores, tem de lá estar”, comentou o técnico verde e branco, prosseguindo: “Na eventualidade de não o termos, temos de procurar outras dinâmicas. Há muitas equipas em Portugal que não têm o Bruno, ou não? Procuram outras dinâmicas. Perderemos umas coisas, ganharemos outras”.