O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, alertou o Presidente russo, Vladimir Putin, de que a “posição do Reino Unido” sobre o caso Skripal não se alterou, avisando-o para “não repetir tal ataque” em solo britânico.

O líder do Governo britânico referia-se ao caso ocorrido em 2018, com a tentativa de envenenamento com uma substância química do ex-espião russo Serguei Skripal, realizada, segundo a Justiça britânica, por dois agentes dos serviços militares de informação russos.

Durante um encontro hoje em Berlim com Putin, Boris Johnson disse ao Presidente russo que as ligações entre Moscovo e Londres não voltariam ao normal até que a Rússia ponha termos às suas “atividades desestabilizadoras”.

Apesar disso, salientou que ambos os países têm a responsabilidade de lidar com questões de segurança internacional, como a Líbia, a Síria, o Iraque e o Irão.

“Não haverá normalização da nossa relação bilateral até que a Rússia termine as suas atividades desestabilizadoras que ameaçam o Reino Unido e os nossos aliados e que comprometem a segurança dos nossos cidadãos e a nossa segurança coletiva”, disse Johnson, citado pela agência France-Presse.

O encontro entre os dois líderes ocorreu à margem da conferência internacional que decorre em Berlim para tentar encontrar uma solução para o conflito líbio.