Os dirigentes dos principais países afetados pelo conflito na Líbia comprometeram-se a respeitar um embargo de armas decidido pelas Nações Unidas em 2011, anunciou a chanceler alemã, Angela Merkel, após uma conferência internacional em Berlim.

“Concordámos que queremos respeitar o embargo de armas e que este embargo será controlado de forma mais rigorosa do que antes”, declarou Angela Merkel no final da conferência sobre o conflito líbio.