Ted Sarandos, diretor de conteúdos da Netflix, admitiu ter interesse em Harry e Meghan Markle. Horas depois do anúncio do Palácio de Buckingham, que informou ao mundo que os duques de Sussex vão perder os títulos reais e o acesso a fundos públicos, Ted Sarandos foi filmado a comentar: “Quem não estaria interessado [neles]? Sim, claro [que estou]”.

No comunicado real, divulgado no sábado ao final da tarde, ficou claro que Harry e Meghan já não vão usar os títulos reais, uma vez que deixam de ser “membros em funções da família real”. Tal possibilita ao casal a concretização do desejo previamente anunciado: serem financeiramente independentes. A resposta a isso pode passar, entre outros contratos lucrativos, pela gigante de streaming Netflix.

Peritos já antes especularam sobre a hipótese de os Sussex seguirem as pegadas de Barack e Michelle Obama, que negociaram um acordo de produção com a Netflix para a realização de projetos televisivos e cinematográficos, tal como lembra o The Guardian.

Com uma nova vida pela frente — até à primavera deste ano perdem os títulos reais e os financiamentos públicos, decisão encontrada pela rainha, no rescaldo do caso que ficou conhecido como Megxit –, é esperado que os duques de Sussex passem a maior parte do tempo no Canadá. Excluídos de obrigações reais, ainda serão bem-vindos nos eventos de família.

Em meados de janeiro, foi noticiado que Meghan Markle já tinha trabalho na Disney, depois de o TMZ ter publicado um vídeo onde se vê Harry a conversar com o presidente da empresa norte-americana, vendendo os talentos da mulher para trabalhos de voz. O The Guardian esclarece que Meghan chegou a acordo com a Disney e vai fazer trabalhos de voz em troca de doações para a caridade. E já o ano passado emergiu que Harry iria trabalhar com Oprah Winfrey num documentário sobre saúde mental para a Apple TV.

A saída real dos duques de Sussex tem por base o “intenso escrutínio” de foram alvos nos últimos tempos — palavras de Isabel II — , mas não é certo que futuro mediáticos os espera, sobretudo quando passarão a estar por conta própria e dependentes do estatuto de celebridades.