Durante cerca de um mês e meio, a BMW vai encerrar a sua fábrica em Munique, aquela de que mais depende o construtor alemão para satisfazer os seus clientes. Mas esta estranha decisão está longe de poder ser considerada um erro, sendo mais uma necessidade, pois o objectivo é preparar as instalações fabris para acomodar, juntamente com a produção actual, um novo modelo, diferente na motorização, mas igual em tudo o que respeita à plataforma.

O novo modelo de que falamos é o i4, veículo que recorre à mesma plataforma dos Série 3 e 5, que também serve para alguns SUV, mas que está igualmente preparada para acolher uma bateria e o motor eléctrico. Optar por um chassi que possa acolher motores de combustão e eléctricos é uma solução que permite ganhar tempo e reduzir simultaneamente o investimento, apesar de não ser o ideal no que respeita à eficiência, especialmente quando comparada com veículos eléctricos concebidos de raiz. Mas a necessidade de cumprir as limitações de emissões de CO2 já a partir de 2020 tem destas limitações.

O novo i4 recorre à base da próxima geração do Série 4 Gran Coupé, com a BMW a pensar oferecer uma autonomia de 600 km, de acordo com o WLTP, valor notável a partir de uma bateria com apenas 80 kWh, que vamos ter de esperar mais cerca de um ano para ver confirmado. Para a nova berlina familiar eléctrica, a marca germânica prevê uma capacidade de ir de 0-100 km/h em somente 4 segundos.

O novo BMW i4 deverá chegar ao mercado em 2021, juntamente com o SUV iNext, com ambos os modelos eléctricos a serem entregues ao público depois do iX3, agendado para o final de 2020.