O Daesh escolheu Amir Mohammed Abdul Rahman al-Mawli al-Salbi para líder do grupo terrorista, após a morte de Abu Bakr al-Baghdadi, em outubro, na Síria, segundo avança o jornal The Guardian . A informação foi confirmada por duas agências de informação internacionais. Além de ser um dos fundadores do Daesh, al-Salbi coordenou a escravização da minoria yazidi no Iraque e supervisionou operações terroristas em todo o mundo. Terá nascido numa família turcomena, em Tal Afar, no extremo-norte do Iraque, a cerca de 60 quilómetros da fronteira com a Síria. É um dos poucos não-árabes entre os líderes do Daesh.

Este ex-oficial do exército iraquiano é conhecido como ‘O Professor’ devido ao seu trabalho como principal legislador e formulador de políticas do Estado Islâmico. É licenciado em direito islâmico – a Sharia – pela Universidade de Mosul, cidade do norte do país, e terá pelo menos um filho. É um dos mais influentes ideólogos do Daesh. Acredita-se que Abdullah recebeu o controlo para reconstruir a organização terrorista e teria já assumido o comando em 2017.

O Daesh perdeu fôlego desde meados de 2014, quando chegou a anunciar a constituição de um califado, da Síria ao Iraque. Porém, a maior parte dos analistas considera que o grupo terrorista se está a reagrupar e a recuperar forças.