A companhia de voos baratos EasyJet informou esta terça-feira que transportou 22,2 milhões de passageiros no último trimestre de 2019, mais 2,8% relativamente ao período homólogo do ano anterior, e admitiu que beneficiou do colapso do operador Thomas Cook.

Num comunicado enviado à Bolsa de Londres, a companhia acrescentou que, em novembro passado, lançou o seu negócio de férias, alcançando contratos com hotéis em 100 destinos.

Além disso, a EasyJet concluiu a venda ou aluguer de 10 aeronaves A319 no mesmo trimestre, o que permitiu gerar 114 milhões de libras (133 milhões de euros).

O diretor executivo da EasyJet, Johan Lundgren, disse esta terça-feira que a companhia aérea começou o ano de forma positiva e destacou o sucesso do lançamento do negócios de férias, uma vez que os clientes procuram beneficiar da flexibilidade oferecida pela empresa, juntando as boas tarifas à escolha de hotéis.