525 Towner Park Road. Será esta a nova morada do casal Harry e Meghan Markle em North Saanich, Ilha de Vancouver, na província da Colúmbia Britânica no Canadá, sugerem as fotografias captadas pelos jornalistas no local. O duque de Sussex aterrou esta terça-feira de manhã no Aeroporto Internacional de Victoria e já se juntou à mulher e ao filho, Archie. É o primeiro passo para uma nova vida longe do núcleo familiar da realeza britânica. E numa mansão avaliada em 18 milhões de dólares, o equivalente a 16 milhões de euros.

Mille Fleurs, assim se chama a prioridade, chegou a estar disponível para venda na página da Sotheby’s que a descreve como “mais do que uma casa”: é antes “um santuário para todos aqueles que são privilegiados o suficiente para entrar por estes portões”. São esses mesmos portões que surgem nas imagens que chegam do Canadá. Atrás dele, uma mansão com 1.060 quilómetros quadrados. E uma casa com 218 metros quadrados para convidados.

A casa principal, inspirada num estilo francês, tem cinco quartos, oito casas de banho, uma sala de jantar, um escritório com lareira, uma sala de dois andares, uma sala de jogos, outra para conferências e mais um espaço para degustação de vinhos. A casa para convidados tem três quartos e duas casas de banho. Ambas têm acesso a um grande jardim, a outro jardim de inverno e a uma praia reservada, que surge nas imagens na fotogaleria.

É aqui que Harry e Meghan Markle pretendem começar uma vida financeiramente independente da rainha Isabel II — e pagar os 2,8 milhões de euros que a rainha lhe exigiu pelas obras feitas pelos duques de Sussex na casa de Windsor. Mas esta mansão será apenas a casa temporária do casal. E ninguém sabe a quem pertence. Os jornais locais dizem que a propriedade está em nome do Towner Bay Country Club, uma instituição que detém outras 27 mansões um pouco por toda a Colúmbia Britânica. Mas o The Daily Mail diz que o verdadeiro dono de Mille Fleurs é um sócio do clube, que comprou participações na instituição para ocultar a sua identidade.