O Wolverhamtpon tornou-se uma autêntica armada portuguesa na Premier League, com reflexo bem visível com as bandeiras nacionais nas bancadas do Molineux Stadium e não só. Jogadores portugueses são sete (que até podiam ser mais se Roderick Miranda não tivesse sido emprestado ao Famalicão); técnicos e restante staff, outros tantos. No entanto, esse peso deverá ser muito em breve reforçado com mais um elemento português no clube.

Depois de Rui Patrício, Rúben Vinagre, João Moutinho, Rúben Neves, Bruno Jordão, Diogo Jota e Pedro Neto, e além de Nuno Espírito Santo (com o adjunto Rui Pedro Silva, os preparadores João Lapa e António Dias, o técnico de guarda-redes Rui Barbosa e os fisioterapeutas Rui Fuste e Carlos Sales), o Wolverhampton está prestes a contar também com Daniel Podence, avançado de 24 anos internacional em todas as camadas jovens e que já chegou a ser chamado por Fernando Santos aos trabalhos da seleção principal (ainda que sem jogar).

De acordo com a imprensa grega, o acordo com o Olympiacos já estará praticamente feito, com um valor inicial de 20 milhões de euros fixos mais cinco milhões variáveis por objetivos, naquele que é o maior negócio de sempre do conjunto de Pireu que poderá ascender ainda a um total de 28 milhões.

Confirmando-se os valores avançados pelos helénicos e seguidos pelos jornais ingleses, o conjunto comandado por Pedro Martins terá um lucro mínimo de 13 milhões de euros… em apenas quatro meses: depois de ter rescindido de forma unilateral com o Sporting a 1 de junho de 2018, no seguimento do ataque à Academia, Podence não aceitou a proposta feita pela então Comissão de Gestão para rubricar novo vínculo com o clube e rumou ao Olympiacos a “custo zero”, com os gregos a considerarem que nada teriam de pagar aos leões.

Mais de um ano depois, e enquanto decorria no Tribunal Arbitral de Desporto um processo do jogador contra o clube e do clube contra o jogador, Olympiacos e Sporting chegaram a um acordo para a “transferência” do avançado formado na equipa verde e branca, com o pagamento de sete milhões de euros “renunciando todas as partes a quaisquer direitos de que pudessem ser titulares em virtude do contrato de trabalho desportivo celebrado entre o jogador e a Sporting SAD, bem como em virtude da resolução unilateral promovida pelo jogador”.

Depois de ter começado a carreira nas escolinhas do Belenenses, Podence mudou-se para o Sporting ainda com idade de infantil em 2005, tendo feito todo o percurso nas camadas jovens com alguns títulos regionais ganhos até à estreia no conjunto principal em 2014/15, após três épocas onde foi utilizado na equipa B (no início ainda com idade de júnior). Apesar do empréstimo ao Moreirense em 2016/17, o avançado realizou um total de 40 jogos nos leões, tendo conquistado duas Taças de Portugal e uma Taça da Liga antes de rescindir contrato. Na Grécia, e depois da época com maior utilização como sénior (oito golos em 41 jogos), continua como indiscutível nas opções de Pedro Martins, levando em 2019/20 um total de 27 encontros com cinco golos.