A idade e os problemas de saúde chegam até às lendas do rock and roll, que nos seus tempos áureos dificilmente imaginariam um desfecho destes. Mas foi um comovido Ozzy Osbourne, acompanhado pela mulher, Sharon, que partilhou com os espectadores do programa Good Morning America que lhe foi diagnosticada doença de Parkinson.

Em entrevista a Robin Roberts, emitida esta terça-feira, o eterno rosto e voz dos Black Sabath, de 71 anos, admite que a revelação lhe permitir tirar um peso de cima. “Sinto-me melhor agora que confesso que sofro da doença de Parkinson”, admitiu, esperando ainda que “os meus fãs me acompanhem no seu apoio porque vou precisar deles”.

Desde o ano passado que a lenda do rock passou por diferentes problemas de saúde. O boletim clínico incluiu uma queda que acabou por ditar “o pior” ano da sua vida e ainda uma infeção grave. As notícias agora tornadas públicas explicam assim o motivo do cancelamento de uma série de concertos no ano passado.

“Lembro-me de ter caído na casa de banho”, recordou o músico, apontando já o impacto que a doença teve no seu quotidiano. Enquanto isso, pedia a Sharon que chamasse uma ambulância. “Depois disso, foi uma espiral descendente”, acrescenta Osbourne, contando como tem estado em recuperação e como preferiu vir a público de forma a contrariar as notícias que davam conta que estava praticamente no “leito da morte”.

Sharon Osbourne explicou ainda que o marido sofre de Parkinson do tipo 2. “A doença não é uma sentença de morte, mas afeta o sistema nervoso. É como se tivéssemos um dia bom, um dia bom, e depois um dia muito mau”, descreveu.  Quanto a Ozzy, garante que apesar da batalha travada durante os últimos meses, os fãs podem contar com ele. “Ainda não estou acabado. Não vou a lado nenhum”.