440kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Dakar. Morre o piloto Edwin Straver, é a segunda vítima do rali

Este artigo tem mais de 2 anos

Piloto estava em estado crítico após queda, a 16 de janeiro, na penúltima das 12 etapas do Rali Dakar que decorre pela primeira vez na Arábia Saudita -- e onde piloto português Paulo Gonçalves morreu

O piloto holandês Edwin Straver foi encontrado inanimado no chão pelo piloto português Mário Patrão
i

O piloto holandês Edwin Straver foi encontrado inanimado no chão pelo piloto português Mário Patrão

AFP via Getty Images

O piloto holandês Edwin Straver foi encontrado inanimado no chão pelo piloto português Mário Patrão

AFP via Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O piloto holandês Edwin Straver que estava em estado crítico após uma queda na penúltima das 12 etapas do Rali Dakar acabou por morrer, noticia o Holeshot na sua página de Facebook. Straver participava no rali de todo-o-terreno, na Arábia Saudita e quando a equipa médica chegou ao local, o piloto holandês estava já sem batimento cardíaco há 10 minutos e teve de ser reanimado, avançou a 16 de janeiro o site holandês RTL Nieuws.

Vencedor da categoria Original by Motul em 2019, para amadores, o motard holandês foi encontrado inanimado ao quilómetro 120 dos 379 previstos. O piloto português Mário Patrão (KTM) foi o primeiro a parar e a chamar ajuda para auxiliar Edwin Straver. “Estava a ir no meu ritmo e ao quilómetro 120, enquanto estava a tentar encontrar um waypoint [ponto de passagem obrigatória], vi um piloto caído, chamei de imediato a equipa médica e estive a prestar auxílio até à sua chegada. Senti a pulsação no pescoço dele assim que me aproximei, mas, de repente, deixei de sentir”, contou o piloto de Seia no final da tirada.

O piloto de 48 anos esteve em paragem cardíaca durante dez minutos antes de ser reanimado pelos médicos da prova, que, entretanto, chegaram ao local. “Foram os 10 minutos mais longos da minha vida”, confessou Mário Patrão, que só saiu “quando o entubaram e o levaram”.

O piloto holandês foi transportado de helicóptero para o Hospital Saudi German, em Riade, onde lhe foi detetada uma vértebra partida.

Paulo Gonçalves morre no Dakar 2020

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.