A EDP investiu seis milhões de euros na GridBeyond, startup irlandesa que foi criada em 2007 e opera atualmente nos mercados do Reino Unido e da Irlanda. Com este investimento, a elétrica portuguesa quer liderar a transição energética, apostando nos serviços de sistema por via da gestão da flexibilidade nas cargas dos cliente.

As soluções desenvolvidas pela GridBeyond permitem prestar serviços de sistema inteligentes através da atuação remota sobre as cargas flexíveis (como os grandes fornos, os sistemas de frio ou os sistemas de climatização dos edifícios), que estão disponíveis em fábricas, por exemplo.

“Estima-se que, a nível mundial, este mercado de serviços de sistema atinja uma capacidade global acumulada acima de 1.000 GW em 2040 – o equivalente a 46 vezes a atual capacidade instalada em Portugal – com recurso à flexibilidade das cargas dos clientes”, lê-se no comunicado enviado às redações.

O investimento vai servir para o grupo apostar num serviço que promove a estabilidade da rede elétrica por via da otimização do consumo e da eficiência energética. O crescimento deste mercado verifica-se em países com redes elétricas modernas e forte penetração de energias renováveis. A EDP estima que os portugueses tenham acesso a este tipo de serviços em breve.

A GridBeyond foi finalista da última edição do programa Free Electrons, um programa mundial de aceleração de startups do qual a EDP paz parte e é pioneira na utilização de baterias para gestão de flexibilidade em clientes empresariais. A ronda de investimento envolveu a emissão de uma nova classe de ações preferenciais no valor de 10,5 milhões de euros. A EDP liderou essa ronda de financiamento, ao investir seis milhões.

“Isto suporta a nossa ambição de avançar no processo de transição das redes globais de energia no sentido da digitalização, descarbonização e descentralização. Tudo enquanto aumentamos os benefícios comerciais e operacionais daqueles que participam no mercado, através de automação e da otimização da procura e geração distribuída”, afirma em comunicado Michael Phelan, presidente executivo e co-fundador da GridBeyond.