A indústria automóvel está a apostar nos veículos eléctricos, a médio/longo prazo, para baixar a média de emissões de CO2 das respectivas gamas para os 95g/km, o limite imposto por Bruxelas. Mas, no curto prazo, é com os híbridos plug-in (PHEV) que conta. E a Seat não é excepção, pelo que está a apressar a versão PHEV do novo Leon, que vai tornar pública ainda este mês de Janeiro.

Sabe-se já que o novo Leon, que nada tem a ver com o antigo, adopta uma nova frente com grelha e faróis diferentes, bem como uma traseira onde os farolins surgem ligados por um elemento luminoso, a toda a largura da carroçaria. A plataforma é similar à utilizada pelo também novo Volkswagen Golf, com vantagens ao nível da electrificação, o que permite à Seat disponibilizar, pela primeira vez, um modelo que recorre a um motor eléctrico alimentado por uma bateria, para incrementar a potência e diminuir o consumo do motor principal a gasolina.

O Leon PHEV vai montar o motor 1.4 Turbo que debita 156 cv, a funcionar segundo o ciclo Miller para se revelar mais económico. Acoplada a uma caixa DSG automática de dupla embraiagem, esta unidade usufrui de um motor eléctrico que deverá eleva a potência para 245 cv, similar à do Golf GTE. Este motor eléctrico é alimentado por uma bateria de 13 kWh, capaz de garantir uma autonomia próxima de 60 km (WLTP) em modo exclusivamente eléctrico.

Desconhece-se ainda se o Leon, à semelhança do que acontece com o Golf, irá oferecer igualmente uma versão PHEV menos possante e mais barata. O truque deste PHEV mais calmo é recorrer a um motor eléctrico mais pequeno, que assegura uma potência acumulada de apenas 205 cv, suficiente para uma condução dinâmica, mas menos exigente sob o ponto de vista da energia consumida.