Os tenistas Novak Djokovic e Roger Federer acederam aos oitavos de final do Open da Austrália, numa jornada em que Serena Williams foi eliminada, Coco Gauff derrotou a campeã Naomi Osaka e Caroline Wozniacki encerrou a carreira.

Foi um dia de muitas emoções e surpresas em Melbourne Park. A primeira jogadora a surpreender foi a norte-americana Serena Williams, que procurava conquistar o 24.º título do “Grand Slam” e sucumbiu perante a chinesa Qiang Wang, pelos parciais de 4-6, 7-6 (7-2) e 5-7, em duas horas e 41 minutos.

Ela serviu bem e eu não respondi à Serena. Se formos honestos, a culpa é toda minha. Perdi o encontro. As coisas são como são. Não posso jogar assim e não posso voltar a fazê-lo. Não é profissional. Cometi demasiados erros para uma tenista profissional”, avaliou a antiga número um mundial e sete vezes campeã do Open da Austrália.

Já Qiang Wang, 27.ª colocada do ranking WTA, vai estrear-se nos oitavos de final do primeiro major da temporada frente à tunisina Ons Jabeur (78.ª WTA), que bateu Caroline Wozniacki, naquele que foi o último encontro da carreira da dinamarquesa, por 7-5, 3-6 e 7-5.

Faz sentido que a minha carreira termine com um encontro em três sets, uma grande luta e um erro de direita”, comentou a campeã do Open da Austrália de 2018, que sofre de artrite reumatoide, referindo-se à sua pancada de direita pouco eficaz e criticada ao longo da sua carreira.

E a fechar a competição feminina na Rod Laver Arena, onde a número um mundial Ashleigh Barty já havia derrotado a cazaque Elena Rybakina, por 6-3 e 6-2, foi a vez da jovem adolescente Coco Gauff, de 15 anos, surpreender a campeã em título Naomi Osaka, que esta sexta-feixa cometeu 30 erros não forçados.

Quatro meses depois de ter sido eliminada pela japonesa no US Open, igualmente na terceira ronda, a norte-americana (67.ª WTA) só precisou de uma hora e sete minutos para se impor, por 6-3 e 6-4, e tornar-se na mais jovem jogadora, desde Martina Hingis em 1996, a alcançar a fase seguinte da prova, naquela que é a sua estreia no quadro principal do major dos Antípodas.

“Há dois anos perdi na primeira ronda de juniores e hoje estou aqui. Isto é de loucos”, confessou Coco Gauff, entre risos, ainda em court, acrescentando: “Só tentava pensar ponto a ponto e continuar a lutar, porque nunca sabemos como vai acabar o resultado”.

Num dia como o desta sexta-feira, em que o grego Stefanos Tsitsipas (6.º ATP) também foi afastado pelo canadiano Milos Raonic (35.º ATP), por 7-5, 6-4, 7-6 (7-2), a passagem do sérvio Novak Djokovic aos oitavos de final foi tão rápida quanto discreta.

O número dois mundial precisou de apenas uma hora e 25 minutos para vencer o japonês Yoshihito Nishioka, com os parciais de 6-3, 6-2 e 6-2, e prosseguir na defesa do seu sétimo título do Open da Austrália, agora diante do argentino Diego Schwartzman (14.º ATP).

Já o suíço Roger Federer, de 38 anos, foi obrigado a esforços redobrados para ultrapassar o australiano John Millman, com quem perdeu nos oitavos de final do US Open, em 2018, e conquistar a 100.ª vitória em Melbourne Park.

O número três mundial e detentor de seis troféus do major australiano só alcançou o triunfo em cinco sets, pelos parciais de 4-6, 7-6 (7-2), 6-4, 4-6 e 7-6 (10-8), após cometer 82 erros não forçados e ter conseguido recuperar da desvantagem de 4-8 no match tie-break. O próximo adversário de Federer é o húngaro Marton Fucsovics (67.º) ATP.