A atriz britânica Carey Mulligan disse numa entrevista que devia haver um “teste” para os membros da Academia de Hollywood provarem que viram os filmes nos quais podem votar, avança a Variety. Mulligan fez essa sugestão depois de ter sido questionada por que razão este ano não há nenhuma realizadora nomeadas, sendo todos os nomeados homens.

Não acho que se possa assistir a esses filmes e não pensar que eles merecem reconhecimento (…) Acho que precisam ser vistos. Gostaria de saber se o sistema funciona (…) Talvez não se deva votar a menos que possa provar que viu tudo. Deve haver um teste. Os filmes que ficaram de fora são indiscutivelmente brilhantes”, disse Mulligan.

Óscares 2020: “Joker” na frente com 11 nomeações. Filmes de Tarantino, Sam Mendes e Scorsese com 10

Carey Mulligan tem colaborado nos últimos anos com várias realizadoras de forma a dar mais relevo às mulheres na indústria no cinema. Depois do comentário, Mulligan deu como exemplo filmes que podiam ter nomeado mulheres para os Óscares e não foram: “Ousadas e Golpistas” (“Hustlers”), “Mulherzinhas” e  “A Despedida”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A revista afirma que o que não falta na Academia são rumores de que os membros que votam “não têm tempo” para ver todos os filmes antes de entregar as suas escolhas. A referência é confirmada por Mulligan: “É difícil garantir que as pessoas viram tudo e, necessariamente, do jeito que os humanos são, priorizam coisas com as quais se sentem confortáveis ​​ou pensam que vão gostar”. Por causa disso, Mulligan diz que escolhem “realizadores já estabelecidos”.

“And the winner is…” Como é que funciona a votação dos Óscares?

Os vencedores e nomeados dos Óscares são escolhidos pelos membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos da América (EUA), que organiza desde 1929 a cerimónia de entrega dos Óscares.

Todos os membros da Academia são profissionais da indústria do cinema. Estes encontram-se divididos por 17 “ramos” ou profissões, que incluem realizadores, atores, cenógrafos, mas também relações públicas e executivos ligados à área.

A maioria das 24 categorias a concurso é votada pelos membros do “ramo” correspondente. Ou seja, são os atores que escolhem os nomeados para melhor ator, os realizadores para o melhor realizador, etc. Contudo, algumas categorias, como a de Melhor Filme Estrangeiro ou a de Melhor Filme de Animação, têm regras específicas.

Depois de os membros da Academia escolherem os seus filmes e atores preferidos, os votos são validados e contados manualmente por uma equipa de contabilistas da PricewaterhouseCoopers (PwC), como explica a Academia.

Em 2016, o organismo a Academia tinha 6.028 membros inscritos e cerca de metade eram realizadores de cinema no ativo. Mulligan tem um filme a estrear-se em abril, com o título “Promising Young Woman”.