O balanço de mortos do sismo de magnitude 6,8 na escala de Richter que atingiu o leste da Turquia na noite de sexta-feira subiu para 40, anunciaram esta segunda-feira as autoridades turcas.

O sismo também provocou ferimentos em mais de 1.600 pessoas e pelo menos 45 sobreviventes foram até agora retirados dos escombros. As equipas de resgate estavam a vasculhar esta segunda-feira os escombros na cidade de Elazig, leste do país, tentando encontrar uma mulher desaparecida de 75 anos e uma outra pessoa, enquanto os familiares esperavam nas proximidades, informou a televisão NTV.  Posteriormente, o ministro do Interior turco, Suleyman Soylu, disse que equipas de resgate recuperaram um dos corpos e ainda tentavam encontrar a outra pessoa.

O terramoto destruiu 76 edifícios e danificou mais de mil na região de Elazig. Segundo as autoridades, mais de 15 mil pessoas estão alojadas em ginásios e escolas, e mais de 5 mil tendas foram montadas na cidade para acomodar os habitantes. As autoridades alertaram as pessoas para não voltarem às suas casas, dada a eventualidade de terem sofrido danos estruturais graves.

A esperança das equipas de socorristas de encontrarem sobreviventes nos escombros está a diminuir, segundo as autoridades de resgate. A Gestão de Emergências e Desastres turca disse que quase 4 mil trabalhadores e 22 cães foram envolvidos nas operações de busca e salvamento.

Os sismos são frequentes na Turquia, que está localizada sob duas falhas tectónicas. O pior terramoto no país décadas ocorreu em 1999, quando um forte abalo atingiu o noroeste da Turquia, matando cerca de 18.000 pessoas.