Londres é das capitais europeias com maiores problemas a nível da qualidade do ar que se respira. Daí que não só os veículos com motores de combustão tenham de enfrentar algumas dificuldades, além de custos, para terem acesso à zona central da cidade, como os automóveis eléctricos são alvo de incentivos, tanto por parte dos fabricantes como pelo próprio Governo.

Cada cliente que opte por um modelo a bateria conta, à partida, com ajudas no equivalente a 5330€. O que Uber oferece, após acordo com a Nissan, são uns adicionais 2370€ para acelerar a rentabilidade da opção. Segundo a Automotive News, há 2000 Leaf disponíveis para condutores da Uber.

A aposta da Uber é nos clientes mais conscientes das questões ambientais, que os leve a preferir recorrer a veículos não poluentes para as suas deslocações na capital britânica. Para a Nissan, este incentivo adicional, associado à possibilidade de colocar no mercado mais dois milhares de veículos eléctricos, representa uma ajuda importante num período em que os fabricantes instalados no Reino Unido passam por grandes dificuldades.

A confirmação destas previsões negativas para indústria automóvel inglesa é confirmada pela notícia da Honda ter anunciado encerrar a fábrica no país em 2021, com a Jaguar a ter igualmente avançado com a redução de postos de trabalho e a Nissan a deslocar para outras instalações fabris na Europa continental modelos que chegaram a estar previstos ser fabricados em Inglaterra.