O sérvio Novak Djokovic, segundo do ranking mundial, qualificou-se esta terça-feira para as meias-finais do Open da Austrália em ténis, primeiro Grand Slam do ano, ao bater o canadiano Milos Raonic, 35º.

Djokovic, que soma um recorde de sete títulos em Melbourne Park (2008, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016 e 2019), derrotou Raonic em três sets, pelos parciais de 6-4, 6-3 e 7-6 (7-1), num embate que durou duas horas e 49 minutos.

Nas meias-finais, o sérvio vai defrontar o suíço Roger Federer, terceiro jogador mundial, que superou o norte-americano Tennys Sandgren, 100º, por 6-3, 2-6, 2-6, 7-6 (10-8) e 6-3, depois de salvar sete match points no quarto set.

O sérvio e o helvético vão defrontar-se pela 50ª vez, num duelo que Djokovic lidera, com mais três triunfos (26 contra 23), sendo que Federer venceu o último, por 6-4 e 6-3, na fase de grupos das ATP Finals da época passada, em Londres.

Djokovic vai disputar a oitava meia-final na Austrália e 37ª num Grand Slam, à procura da 26.ª final e do 17.º título, enquanto Federer cumpre a 15.ª meia-final em Melbourne e 46ª num major, em busca da 32ª final e do 21º cetro.