Rúben Amorim disse esta terça-feira que, dado o pouco tempo para preparar a deslocação do Sporting de Braga a casa do Moreirense, na quarta-feira, na 18ª jornada da Liga de futebol, a parte psicológica dos jogadores foi muito trabalhada.

Os bracarenses conquistaram a Taça da Liga no sábado, diante do FC Porto (1-0), e vão realizar na quarta-feira o quarto jogo em 12 dias, tentando a sétima vitória consecutiva nas diversas competições.

Na antevisão da partida com o Moireirense, o técnico disse não temer uma eventual euforia na equipa após a vitória sobre o FC Porto, mas considerou que a “série de jogos importantes” que a equipa tem feito pode “retirar a tal energia aos jogadores”.

É difícil passar tanto tempo sem desviar a atenção do futebol e, porque não tivemos muito tempo para preparar o jogo, trabalhámos muito o psicológico dos jogadores. Eles sabem que o Moreirense está a trabalhar neste jogo há muito tempo, o que é uma vantagem, e isso vai criar-nos dificuldades, temos que ser muito agressivos desde o início”, disse.

O técnico lembrou a recente mudança de treinador no adversário, o primeiro ponto conquistado por Ricardo Soares na última jornada, em Tondela (1-1), e destacou a agressividade do Moreirense em casa, condição na qual conquistou as suas únicas vitórias no campeonato.

Vi várias vezes o jogo com o FC Porto, em casa, e temos que ser igualmente muito agressivos, ter muita energia, porque senão vamos sofrer. É uma equipa muito bem organizada defensivamente, com linhas muito juntas, e vamos ter algumas dificuldades para arranjar espaço, temos que encarar o jogo como uma final”, disse.

Tormena, com uma lesão muscular na coxa esquerda contraída no sábado, é ausência certa, e o seu substituto terá “características diferentes”, porque “não se arranja um jogador tão rápido como o Tormena facilmente”.

O técnico admitiu a possibilidade de jogar com três defesas, com um lateral mais rápido a fechar à direita, em vez de três centrais “puros”. André Horta perdeu espaço na equipa e não tem sido utilizado nos últimos jogos (nem no banco se sentou na final de sábado).

A carreira de um jogador vive de momentos, contamos com o André, ele faz parte do projeto, do presente e do futuro do clube, mas por uma coisa ou outra não está a jogar de momento. Não temos uma equipa titular, depende de jogo para jogo. A culpa tem sido menos do André e mais dos outros, o João Novais entrou muito bem com o Sporting e o Palhinha e o Fransérgio têm feito jogos muito bons. Sei o que custa estar de fora, mas cada um tem que esperar a sua oportunidade”, explicou.

O Sporting de Braga, sexto classificado, com 27 pontos, e Moreirense, 14º, com 18, defrontam-se a partir das 20h15 de quarta-feira, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos.