A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) decidiu esta quarta-feira suspender as negociações das ações do Sporting, enquanto aguarda “a divulgação de informação relevante”, de acordo com um comunicado divulgado no site da entidade. Segundo apurou o Observador, o acordo firmado entre o ainda jogador do Sporting Bruno Fernandes e o Manchester United está concluído — só falta mesmo assiná-lo.

“O Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deliberou, nos termos do artigo 214º e da alínea b) do n.º 2 do artigo 213º do Código dos Valores Mobiliários a suspensão da negociação das ações do Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD, aguardando a divulgação de informação relevante”, informa a o regulador presidido por Gabriela Figueiredo Dias.

A mensagem da entidade não revela mais pormenores, mas é divulgada um dia depois de ser conhecida uma nova proposta apresentada pelo Manchester United para a contratação do jogador do Sporting Bruno Fernandes ainda durante o mercado de inverno e que oferece um valor fixo de 55 milhões de euros, mais 25 milhões em variáveis.

Segundo confirmou o Observador, a proposta foi aceite e só falta mesmo assinar o acordo. Dos 25 milhões, 10 são objetivos considerados simples de atingir — como um determinado número de jogos que Bruno Fernandes tem de realizar ao serviço do Manchester United. Os restantes 15 são mais complexos, e incluem que o Manchester United ganhe a Liga dos Campeões e que Bruno Fernandes vença a Bola de Ouro.

Já do bolo inicial de 55 milhões existem quatro fatias extra a ter em conta, sendo que duas podem podem ter sido ou não conversadas com o Manchester United. Por partes: a Sampdória terá sempre a receber 4,75 milhões de euros, dos 10% da mais valia acordados quando assinou pelos lisboetas por 8,5 milhões; depois, há a questão da percentagem que fica sempre retida na banca, havendo a dúvida se já irá vigorar os 30% acordados na nova reestruturação (16,5 milhões) ou os 50% que vinham da era Bruno de Carvalho (27,5 milhões) – recorde-se que, na semana passada, o Expresso escreveu que o Novo Banco ainda não tinha dado luz verde à conclusão do processo, ao invés do Millenium BCP; por fim, há dois valores que podem ser assegurados ou pelos vendedores ou pelos compradores e que são os 10% para intermediários (5,5 milhões) e os 5% para o mecanismo de solidariedade (2,75 milhões, entre Boavista, Pasteleira, Novara e Udinese).

Apesar de apenas faltar assinar o acordo, Bruno Fernandes garantiu, na noite de terça-feira, que “ainda não é momento para uma última mensagem para os adeptos do Sporting”. À SIC, o jogador disse que a liga inglesa “sempre foi” a sua preferência. “Manchester United”?, questionou o jornalista. “Qualquer coisa”, respondeu o jogador.