Da Ponta do Largo à Ponta de São Lourenço, já é possível chamar um Bolt na ilha da Madeira. Depois de a Uber ter iniciado os serviços fora do continente em novembro de 2019, a Bolt é a segunda TVDE (transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados) a chegar à região autónoma. Ao mesmo tempo, a Bolt expandiu a operação em Portugal continental e arranca operações na cidade de Leiria.

Expandir a nossa presença não só a nível continental, como para a ilha da Madeira, é um passo importante para a Bolt. Ao estrear o nosso serviço no arquipélago, estamos a possibilitar uma experiência de viagem mais cómoda, rápida e segura a todos os que vivem e visitam a ilha diariamente, como estamos a criar novas oportunidades de rendimento para os vários motoristas que trabalham nesta zona do país”, diz David Ferreira da Silva, responsável pela Bolt em Portugal.

Com a chegada à ilha da Madeira e a Leira, a Bolt afirma que já disponibiliza os seus serviços “a mais de 80% da população”. A plataforma de TVDE está já presente em Lisboa, Porto, Braga, Aveiro, Guimarães, Coimbra, Águeda, Figueira da Foz, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, no Estoril, Cascais, Ericeira, Setúbal, Alverca do Ribatejo e Algarve. Para celebrar esta expansão e cativar mais clientes a Bolt está a oferecer um desconto de 50% para as primeiras cinco viagens de novos utilizadores.

A expansão para mais cidades do país surge depois de a Bolt ter baixado os preços no início do ano, à semelhança da Uber, num ato que tem sido bastante contestado pelos motoristas que utilizam a plataforma. Entre as queixas, os condutores afirmam que estas plataformas TVDE estão a reduzir as margens de lucros tornando insustentável continuarem a utilizar os seus serviços para transportar passageiros.

A Bolt foi criada na Estónia e tem 30 milhões de clientes em mais de 35 países em todo o mundo. A empresa está em Portugal desde janeiro de 2018 e, além da Uber, concorre como TVDE também com a Kapten.