Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Caminho vai publicar o novo livro de Germano Almeida, O Último Mugido, o seguimento de O Fiel Defunto, e a coletânea de contos O Dia em que Bossangwa chegou à América, de João Melo. Pela Companhia das Letras vai sair A Melhor Máquina Viva, o novo romance de José Gardeazabal, e pela Alfaguara Os Informadores, de Juan Gabriel Vásquez. A Elsinore vai editar Sete Casas Vazias, de Samanta Schweblin, autora de Kentukis.

A E-Primatur vai publicar, pela primeira vez em Portugal, O Mocho Cego, do iraquiano Sadeq Hedayat. “Inspirado por Kafka e Sartre (com quem Hedayat chegou a conviver em França), este romance curto é o retrato por vezes onírico, por vezes surreal de uma mente que se afunda na demência perdendo as balizas da realidade”, referiu a editora. Pela Cavalo de Ferro vão sair dois livros: O Homem da Forca, de Shirley Jackson, considerada uma das mais influentes escritores norte-americanas, e O Silencieiro, de Antonio Di Benedetto.

A Presença vai editar A Coragem de Cilka, de Heather Morris, autora de O Tatuador de Auschwitz. Pela Dom Quixote vai sair A Educação dos Gafanhotos, de David Machado, A Mais Preciosa Mercadoria, de Jean-Claude Grumberg, Sem Nunca Chegar ao Cimo, de Paolo Cognetti, A Fábula, de William Faulkner, O Informador, de Jan-Erik Fjell, e Aprender a Falar com as Plantas, de Marta Orriols, autora que participará no festival literário Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim, neste mês de fevereiro.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Logo no início de fevereiro, a Bertrand vai publicar a novela gráfica de A História de Uma Serva, com ilustrações da canadiana Renée Nault. Pela mesma editora vai ainda sair O Último Oráculo, de James Rollins. A Quetzal vai editar O Que Fazer dos Estúpidos, de Maxime Rovere, Sob Céus Vermelhos, de Mai Jia, e O Silêncio das Mulheres, de Pat Barker. A coleção de literatura de viagens da Tinta-da-China vai ganhar um novo volume: Tempo de Dádivas: Uma viagem a pé, de Patrick Leigh Fermor.

A Relógio d’Água vai lançar o mais longo romance de Agustina Bessa-Luís, Os Incuráveis (com prefácio de João Bénard), Tonio Kröger, de Thomas Mann, O Jogo Preferido, de Leonard Cohen, e Notas de Inverno sobre Impressões de Verão, de Fiódor Dostoievski. A Porto Editora vai editar Os tempos de ódio, de Rosa Montero, Chuva Miúda, de Luis Landero, considerado o melhor romance espanhol de 2019, A quinta testemunha, de Michael Connely, e Serei sempre o teu abrigo, um livro ilustrado de Valter Hugo Mãe. Pela Assírio & Alvim vai sair Rectificação da Linha Geral, de José Alberto Oliveira.

Deixa-te de Mentiras, de Philipe Besson, a história de amor e perda de dois rapazes homossexuais nos anos 80, vai sair pela Sextante. Besson vai estar em Lisboa em meados de fevereiro para a apresentação do romance. A Livros do Brasil vai publicar As Horas, de Annie Ernaux, nomeado para o Booker Internacional no ano passado, O Breve Reinado de Pepino IV, uma obra satírica de John Steinbeck, e ainda A Caixa Vermelha, de Rex Stout, no âmbito da coleção “Vampiro”. A Saída de Emergência vai lançar As Sombras Eternas, de Glen Cook.

A Arena Editora vai lançar As Feministas Também Usam Soutien, um livro com ilustrações e textos de quase 20 autores, como Sara Tavares, Pedro Vieira ou Aline Frazão, que não têm medo da palavra “feminismo” e cujos direitos de autor revertem a favor da APAV. A BookBuilders vai publicar Reflexões de Um Cineasta, de Serguei Eisenstein, e a Objectiva História Social Contemporânea. Portugal 1808-2000, com coordenação de António Costa Pinto e Nuno Gonçalo Monteiro.

Pela Edições 70 vai sair O Mito e o Homem, de Roger Caillois. Nesta obra, o sociólogo e antropólogo francês procurou “definir a natureza e a função do mito, analisando as diferentes determinações que contribuem para fazer das representações coletivas de caráter mítico uma manifestação privilegiada da vida imaginativa”, resumiu a editora, que vai ainda publicar em fevereiro Filosofia, ética e política, de Paul Ricoeur, Aspetos do Novo Radicalismo de Direita, de Theodor W. Adorno, e Gaia: Um novo olhar sobre a vida na Terra, de James Lovelock, cientista e ambientalista que trabalhou como consultor no programa espacial da NASA.

O Olhar do Outro é um livro com textos e impressões das viagem dos principais estrangeiros que visitaram Portugal, desde meados do século XVII, organizado por Maria Filomena Mónica. Vai sair este mês pela Relógio d’Água. A Tinta-da-China vai publicar História(s) do Presente, de Miguel Bandeira Jerónimo e José Pedro Monteiro. “A partir de um olhar rigoroso sobre eventos e processos históricos que marcaram o nosso passado, (…) os dois historiadores convidam o leitor a refletir sobre os legados de outros tempos e a perceber como chegámos a um presente de crises de refugiados, racismo, nacionalismos ou fake news”, referiu a editora.

A Actual vai editar A Economia dos Pobres, de AbhijitV. Banerjee e Ester Duflo. Já a Vogais vai publicar Estado Crítico: Histórias do Limitar da Vida Humana, de Matt Morgan, O Salto Social: A Nova Ciência Evolutiva Sobre Quem Somos, de Onde Vimos e o que Nos Faz Felizes, de William von Hippel, Portugal: Breve História de Um Império, de David Birmingham, e ainda O Princípio e o Fim de Tudo: Do Big Bang ao Fim do Universo, de Paul Parsons. A Bertrand vai publicar Guia Prático para Vencer a Ansiedade, de Diogo Telles Correia e José Brites.

A editora Temas e Debates vai voltar a disponibilizar uma outra obra de José Mattoso, Narrativas dos Livros de Linhagens, no mesmo mês em que vai fazer chegar às livrarias no dia 14 os livros A Arte da Lógica, de Eugenia Cheng, Rockonomics, de Alan B. Krueger, e O Erro de Galileu, de Philip Goff. A Casa das Letras vai publicar O Complexo ocidental — Pequeno Tratado de Desculpabilização, do jornalista e comentador francês Alexandre del Valle. Já a Desassossego vai editar A Insanidade das Massas, de Douglas Murray.

Para assinalar os 20 anos da publicação em Portugal de Harry Potter e a Câmara dos Segredos, a Presença vai lançar uma edição especial do segundo volume da saga de J.K. Rowling com sobrecapas dedicadas às quatro casas da Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts, Gryffindor, Hufflepuff, Ravenclaw e Slytherin. Já a Porto Editora vai editar As piores crianças do mundo 3, de David Walliams.

A Booksmile vai publicar Max Einstein 2: O Gang dos Rebeldes, de James Patterson, a primeira e única série infantil aprovada oficialmente pelos Arquivos de Albert Einstein. Já a Fábula vai lançar As Meninas Exemplares, de Condessa de Ségur, O Bando, de Gemma Koomen, Olá, Farol, de Sophie Blackall, e Patina, de Jason Reynolds. Pela Bertrand vai sair Telma, o Unicórnio, de Aaron Blabey.