O líder do Chega reagiu no Twitter ao cancelamento do concerto de Filipe Sambado no Hard Club, no Porto, e duvida da versão do músico, que alegou não querer atuar numa sala que compactua com um encontro de “ideologia de extrema-direita”: “Deixem-se de tretas. Cancelou o concerto porque ninguém sabe quem é e nem sequer tinha vendido bilhetes suficientes”.

A reação de André Ventura surge depois do cancelamento do concerto de Filipe Sambado, agendado para dia 14 de Fevereiro, na sala 1 do Hard Club, no Porto. O espaço acolheu um comício do Chega, no passado sábado, e nas redes sociais foram divulgadas imagens do encontro, nas quais se vê um apoiante do partido a levantar o braço direito no ar, em saudação nazi, enquanto era cantado o hino nacional.

Cantor Filipe Sambado cancela concerto no Hard Club após comício do Chega no local

“O Filipe, a sua banda e a Maternidade [editora, produtora e promotora que o agencia] não se podem mostrar coniventes com um espaço que se permite a compactuar com um encontro de ideologia de extrema-direita, contando com membros que manifestam uma agenda e um programa racista, xenófobo, homofóbico, transfóbico, misógino e tantos outros adjectivos depreciativos de opressão e intolerância, contra os quais nos posicionamos, expressamos e lutamos”, lê-se numa nota divulgada nas redes sociais, e nas páginas oficiais da Maternidade e de Filipe Sambado.

Apesar do cancelamento, Sambado já fez saber que irá apresentar o seu novo álbum, Revezo, no Porto, dia 14 de Fevereiro, mas no espaço Maus Hábitos. Quem já tinha bilhete para o concerto no Hard Club pode “pedir o reembolso do bilhete na bilheteira daquele espaço, até dia 14 de Fevereiro”, segundo se pode ler no mesmo comunicado.