O presidente da Câmara de Viana do Castelo disse esta sexta-feira à Lusa que o município vai candidatar-se a Capital Europeia da Cultura 2027 e mostrou-se disponível para integrar uma candidatura conjunta com outras cidades da região Norte.

“É uma possibilidade que está em cima da mesa e que faz todo o sentido. Havendo a intenção de alguns municípios, na região Norte, de se candidatarem, poderá surgir um projeto de partilha e de cooperação, que valorize os recursos e dê mais força à própria candidatura”, afirmou o socialista José Maria Costa.

Questionado pela Lusa, a propósito da intenção de candidatura, manifestada em 2017, José Maria Costa disse que o município irá, “este ano, avançar com essa proposta de apostar não só num projeto muito forte da identidade cultural do concelho, mas também de grande participação e cooperação com outros municípios”.

“Não pomos de parte podermos associar-nos a outras cidades ou vilas para ter uma estrutura mais alargada. A cooperação institucional entre diversas cidades e entre municípios, para projetos de ambição europeia, pode e deve ser cada vez mais potenciada”, defendeu. Segundo o autarca, a candidatura de Viana do Castelo irá privilegiar, entre outros aspetos, a sua “forte identidade cultural e marítima”.

“A cidade tem um conjunto de requisitos que podem ser de grande interesse para chamar a atenção, não só para as manifestações mais modernas de arte, mas também para o património e a cultura identitária. A nossa candidatura vai ser muito nessa linha, de promoção dos jovens talentos, nas diferentes expressões artísticas, mas também recorrendo às nossas raízes culturais”, referiu.

Segundo o autarca, “este ano” será desenvolvido “um conjunto de ações de preparação da candidatura” da capital do Alto Minho.

Portugal vai acolher em 2027 a Capital Europeia da Cultura, juntamente com uma cidade da Letónia. Os dois países selecionados são responsáveis pela organização do concurso entre as suas cidades, devendo para isso publicar um convite à apresentação de candidaturas com seis anos de antecedência. Após a apresentação de candidaturas, que devem focar-se na criação de um programa cultural com dimensão europeia, caberá a cada Estado-membro convocar um júri para uma pré-seleção das cidades candidatas, isto até cinco anos antes.

Além de Viana do Castelo, já anunciaram que vão apresentar uma candidatura as cidades de Leiria, Faro, Évora, Coimbra, Aveiro, Braga, Guarda e Oeiras. A decisão final será dos países, devendo ser tomada até quatro anos antes do título.

Portugal já recebeu a Capital Europeia da Cultura em três ocasiões: 1994 (Lisboa), 2001 (Porto) e 2012 (Guimarães).