Morreu Andy Gill, guitarrista dos Gang of Four, célebre banda pós-punk que formou em Leeds, em 1976, com Jon King, Dave Allen e Hugo Burnham. Era o último membro original dos Gang of Four ainda na banda e tinha 64 anos.

“Isto é-nos muito difícil de escrever, mas o nosso grande amigo e Líder Supremo morreu hoje. O Andy nunca se retiraria realmente a não ser como aconteceu na sua última digressão, em novembro; com uma Stratocaster ao pescoço, a gritar com feedback e a ensurdecer a fila da frente. A sua visão artística intransigente e o compromisso que tinha para com a causa era tal que, a partir da cama no hospital, continuava a ouvir as misturas para o próximo disco, enquanto planeava a próxima tour“, escreveram os atuais membros da banda, Thomas McNeice, John Sterry e Tobias Humble, no comunicado que publicaram este sábado no Twitter.

“Iremos recordá-lo pela sua simpatia e generosidade, pela sua aterradora inteligência, pelas suas péssimas piadas, pelas histórias de doidos e pelas intermináveis chávenas de chá Darjeeling . Só por acaso ele também era uma espécie de génio”, continua o texto.

Andy Gill, que era casado mas não tinha filhos, morreu na sequência de uma “curta doença respiratória”, num hospital no centro de Londres, avançou entretanto a Pitchfork.

Ramones, The Clash, The Sex Pistols, The Stooges e Gang of Four. De acordo com a Rolling Stone é nesta ordem decrescente que se devem dispor os autores dos cinco melhores álbuns punk de todos os tempos. Sendo que foi com “Entertainment!”, de 1979, logo o primeiro álbum que gravaram, que os quatro de Leeds alcançaram o quinto lugar na lista com quatro dezenas de discos elaborada em 2016.

“Através da fusão de James Brown com os primórdios do hip-hop e com o minimalismo dos Ramones, os Gang of Four foram uma verdadeira força revolucionária na demanda por justiça da classe trabalhadora. O quarteto de Leeds amarrou a sua crítica marxista em nós apertados de funk enraivecido e síncopes de disco-vingança, cortados pelo jogo de espadas livre de blues do guitarrista Andy Gill”, escreveu a publicação na altura, a justificar o lugar 5.

Como produtor, Andy Gill trabalhou com bandas e músicos como Red Hot Chili Peppers, The Stranglers, The Futureheads, Michael Hutchence, Bono, Therapy e Young Knives.

A última vez que Gill atuou em Portugal, justamente com os Gang of Four, foi em 2019, no Vilar de Mouros.

Tom Morrello, dos Rage Against The Machine, foi um dos primeiros a reagir à morte do também guitarrista, que considera uma das suas “principais influências”: “Estou satisfeito por tê-lo visto e por me ter divertido com a sua arte incendiária e com a sua ironia várias vezes ao longo do último ano. Ele era mesmo, mesmo incrível como  o c…”.