O Marselha de André Villas-Boas ainda pareceu ser capaz de dar alguma luta na Ligue 1 com uma série de bons resultados que diminuíram a distância para o PSG, que sofreu três derrotas (Rennes, Reims e Dijon) nas 12 jornadas iniciais. No entanto, essa foi apenas uma mera ilusão de ótica e a 22.ª ronda chegou com os campeões a terem já mais 13 pontos do que a equipa do português, que defronta esta noite o Bordéus de Paulo Sousa. Tudo deveria apontar para um ambiente tranquilo e desafogado na equipa mas nem a goleada com o Montpellier por 5-0 conseguiu acalmar aquilo que parece ser um constante barril de pólvora. E com vários protagonistas.

Para começar, o inevitável Neymar. Que por acaso nem marcou ao Montpellier mas que nem por isso deixou de ser uma das figuras em destaque logo à cabeça com o novo cabelo rosa que estreou num encontro onde fez todo o aquecimento com a camisola número 24, em homenagem a Kobe Bryant. Mas o encontro onde fez mais um passe para golo, prolongando a série para 11 encontros consecutivos sempre a marcar ou a assistir, não terminou da melhor forma: depois de já ter feito muitas fintas como se estivesse num jogo de rua, um “cabrito” por cima de um adversário fez com que o árbitro Jérome Brisard lhe exibisse o cartão amarelo sem razão aparente. No campo, o brasileiro disse que estava apenas a jogar futebol; no túnel, atirou-se ao quarto árbitro.

– Jogo futebol, não falo porra nenhuma e ainda tomo uma porra de um amarelo?
– Be patient…
– Be patient o car***

No entanto, o problema do treinador Thomas Tuchel nem foi propriamente o amarelo ao avançado mas sim a festa que está a preparar para celebrar o 28.º aniversário, esta quarta-feira (embora a festa seja domingo). “É óbvio que a festa será uma distração mas se tenho de falar com os meus jogadores prefiro que seja em termos internos. Quero proteger os meus futebolistas mas não sou o pai deles, só o treinador. Se vou estar presente? Esse é o outro tema… Dá imagem que não somos sérios, pode dar a imagem que não somos profissionais. É uma pena e por isso não quero falar mais disso, as coisas depois ganham uma maior proporção falando delas”, comentou no final do jogo sobre um momento que contará com muitos elementos do PSG… e para o qual está convidado.

Mas esse não é o único problema que Tuchel tem em mãos: se a troca de Sarabia por Cavani aos 69′ quando o resultado já estava em 5-0 foi tranquila, a saída de Mbappé (que apontara um dos golos) para a entrada de Icardi criou outro caso, com o francês a manifestar por mais do que uma ocasião o desagrado pela opção, recusando as explicações de Tuchel em várias tentativas naquele que foi já o terceiro conflito entre ambos sempre pelos mesmos motivos depois do que já tinha acontecido com o Galatasaray e com o Club Brugges, na Liga dos Campeões.

“Eu sou o treinador e sou eu que decido quem sai e entra. O Mbappé é inteligente e sabe o que está a fazer. Não gosta de ser substituído, assim como muitos outros, mas isto não acontece só aqui. Já vi isso no B. Dortmund, já vi isso no Liverpool, já vi isso no Manchester City… Se vai ter algum castigo? Não sei, vou decidir. Depende de como dormir hoje [sábado]. Depois disso vou tomar uma decisão, antes do treino. Estou triste porque não é uma imagem boa que se passa, parece que não somos profissionais e sérios no que fazemos. Aqui não jogamos ténis, jogamos futebol e temos de respeitar todos”, explicou Tuchel sobre o caso com o campeão mundial.

Já Kylian Mbappé, que leva 22 golos em 25 jogos na presente temporada e está na luta por ser o melhor marcador da Ligue 1 com Ben Yedder, Dembelé ou Neymar, passou ao lado de qualquer comentário mas voltou a levantar muita conversa com a colocação de likes nas fotos de Benzema, Sergio Ramos e Vinicius a celebrar o triunfo com o Atl. Madrid. Tendo em conta o interesse assumido do Real em contratar o jogar e juntando a isso o reforço da estrutura de Mbappé com a contratação da advogada Delphine Verheyden, a especulação vai aumentar…

Quem são os atores do mercado que não se veem mas mexem em tudo (a Erin Brockovich, o Bond, o Moneyball e um Indiana Jones)