O ex-Presidente da Bolívia Evo Morales, exilado na Argentina há vários meses, é candidato a um lugar no Senado, nas eleições legislativas de 3 de maio.

Morales, que deixou o poder a 10 de novembro, integra a lista oficial do Movimento para o Socialismo (MAS). A lista apresenta oito candidatos ao Senado, quatro titulares e quatro suplementares, para a região de Cochabamba, no sul do país, de acordo com as informações publicadas na página eletrónica do tribunal eleitoral.

O antigo ministro da Economia e Finanças Públicas boliviano Luis Arce, de 56 anos, foi escolhido, em 19 de janeiro, como candidato presidencial do MAS, partido dirigido por Evo Morales, para se apresentar nas eleições de 3 de maio.

Primeiro Presidente indígena da Bolívia, Morales, de 60 anos, esteve no poder quase 14 anos. Foi declarado vencedor para um quarto mandato consecutivo nas eleições de 20 de outubro, escrutínio que ficou marcado por denúncias de fraude por parte da oposição boliviana.

Acabou por renunciar ao cargo a 10 de novembro, após três semanas de protestos contra a sua reeleição, liderados pela oposição, e depois de ter perdido o apoio do exército e da polícia.