Sudesh Amman, de 20 anos, esfaqueou duas pessoas numa rua em Streatham, no sul de Londres, no domingo antes de ser morto a tiro pela polícia. Agora, o pai do terrorista contou, citado pela Sky News, que falou com o filho um dia antes do ataque e que lhe pediu “para não ser malandro”.

Faraz Khan, que deixou o Reino Unido há três meses, contou que soube da morte do filho por um primo que lhe mandou uma mensagem a relatar o sucedido.”Falei com Sudesh um dia antes de ele morrer. Eu não sabia que ele se tinha radicalizado”, contou. “Ele nunca falou comigo sobre coisas indecentes.”

“Ouvi que encontraram várias coisas e vi-o nas notícias, mas nunca pensei que ele fosse tão longe”, disse ainda, afirmando que não tem nada “de mal” a dizer do filho que era “muito calmo e muito bom rapaz”. “Ele zangou-se. Mais nada”, cita ainda a Sky News.

Dias depois do ataque no sul de Londres outras informações começam a surgir, entre elas o pedido que Sudesh Amman chegou a fazer à namorada — que esta decapitasse os próprios pais.

Antes do ataque, Amman foi condenado por publicar vídeos terroristas explícitos na Internet e por ter manuais de instruções para fabricar bombas e proceder a ataques com facas, mas foi libertado recentemente após cumprir parte da sentença. O pai nunca o visitou enquanto esteva na prisão e mostrou-se “chocado” quando soube que o filho tinha esfaqueado duas pessoas.

Devido ao risco que representava, o extremista islâmico estava a ser seguido pela polícia no domingo, mas os agentes à paisana não conseguiram impedir o esfaqueamento de duas pessoas, entre elas uma professora de uma escola primária.