O Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES), agência de fomento do Governo brasileiro, vendeu 22 mil milhões de reais (4,7 mil milhões de euros) em ações da companhia estatal de petróleo Petrobras, noticiou esta quinta-feira a imprensa. A venda das ações ocorreu na quarta-feira nas bolsas de valores de São Paulo e Nova Iorque.

Segundo informações dos média brasileiros, o movimento sinaliza uma redução do investimento do banco de fomento em empresas e, ao mesmo tempo, marca a queda da participação do Governo na Petrobras.

A operação para a venda de ações da estatal petrolífera pelo BNDES começou em janeiro, quando bancos contratados para mediar o negócio informaram aos investidores a decisão de lançar uma oferta pública secundária de ações ordinárias da Petrobras. A operação permitiu ao BNDES capitalizar e melhorar as contas públicas do Brasil em 2020, porque o Governo reduziu a sua participação na Petrobras, sem deixar de manter o controlo da estatal já que permaneceu com 50,2% das ações. As vendas não incluíam, por enquanto, as ações da petrolífera que estão nas mãos do fundo BNDESPar, uma subsidiária controlada pelo BNDES.

O banco brasileiro de fomento ficou com 0,16% das ações ordinárias da Petrobras, enquanto o BNDESPar deterá 19,05% dos títulos preferenciais da petrolífera. A estratégia do BNDES é oferecer ao mercado nos próximos três anos cerca de 90% das ações que o banco de desenvolvimento tem em diferentes empresas brasileiras.

As vendas de ações da empresa renderam 10,6 mil milhões de reais (2,3 mil milhões de euros) ao BNDES no ano passado.

O processo de desinvestimento do BNDES faz parte da política do Governo do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, de reduzir o tamanho do Estado na economia por meio de privatizações, concessões e venda de ações não estratégicas detidas de empresas estatais.