Cinco pessoas foram detidas esta quinta-feira por suspeitas de terem recebido dinheiro para apagar dívidas ao Estado, anunciou a Polícia Judiciária. As detenções resultaram de 29 buscas feitas nos distritos de Lisboa, Leiria e Coimbra. Um dos detidos era funcionário da Autoridade Tributária, confirmou a polícia.

Os detidos são cinco homens com entre 48 e 67 anos e são suspeitos dos crimes de corrupção passiva e ativa, falsificação de documentos, branqueamento, acesso ilegítimo qualificado e fraude fiscal qualificada. A investigação ao caso arrancou em maio de 2018 na diretoria do centro, após um inquérito dirigido pelo Ministério Público através do DIAP regional de Coimbra.

As buscas aconteceram nas residências dos detidos, mas também “em entidades públicas e empresas”, descreve o comunicado de imprensa da PJ, cujos investigadores e peritos agiram em parceria com magistrados judiciais e do Ministério Público. Também foram apreendidos documentos, telemóveis, computadores e saldos bancários.

Segundo o comunicado de imprensa, os cinco suspeitos “violaram claramente os respetivos deveres funcionais e em claro prejuízo do erário publico, atuavam em beneficio de terceiros na resolução de problemas fiscais, recebendo contrapartidas monetárias e outras”.