Um homem de 67 com uma infeção num testículo e na próstata viu o tratamento a ser adiado devido a um impasse entre o IPO do Porto e o Hospital de Santo António, ambos na cidade onde vive. O que esteve na origem da “falha de comunicação” entre os dois hospitais? O doente já era seguido no serviço de urologia do IPO, devido a um tumor num rim ao qual foi operado em 2017. Quando começou a sentir dores devido à infeção que agora combate dirigiu-se ao mesmo hospital onde “realizou exames e foi medicado” assumindo que continuaria a ser seguido aí, mas uma vez que “o problema não era maligno” devia ser seguido no Hospital Santo António.

O caso é contado na edição desta sexta-feira do Jornal de Notícias, que esclarece também que as duas unidades de saúde admitem uma “falha de comunicação no momento da triagem” seguindo-se agora a marcação de  “uma consulta para avaliar a necessidade de uma pequena cirurgia” no Hospital de Santo António.

Ainda que o doente continue a dirigir-se ao IPO quando precisa de medicação para as dores (que diz ser a única forma de suportar as dores) tudo aponta para que passe continue a ser seguido no IPO, ainda que esteja a ser agendada uma consulta no Hospital de Santo António, segundo “os dois diretores clínicos”.

O impasse motivou o homem a apresentar uma reclamação na Entidade Reguladora da Saúde, ao Ministério da saúde e à Administração Regional de Saúde para expor o problema.