Militares das Forças Armadas portuguesas aprovaram esta quinta-feira uma moção conjunta na qual reivindicam a valorização dos salários e carreiras, as revisões do estatuto e do regulamento de avaliação e o reconhecimento das Associações Profissionais de Militares (APN).

De acordo com a moção aprovada unanimemente, depois de um encontro promovido esta quinta-feira pela Associação Nacional de Sargentos, Associação de Oficiais das Forças Armadas e Associação de Praças, que decorreu em Lisboa, é necessária a “valorização salarial” e das carreiras, e “rever, alterar e reformular” o Estatuto dos Militares das Forças Armadas e o Regulamento de Avaliação do Mérito dos Militares das Forças Armadas, atendendo ao “quadro orçamental desfavorável à promoção, valorização e dignificação militar”.

Os militares portugueses reivindicam também “a regulamentação do reconhecimento às APN do exercício da representação coletiva dos militares e de negociação coletiva” junto das “entidades legislativas e político-administrativas”.

A moção aprovada destaca igualmente a intenção de haver uma reunião entre as APN e os militares, e “ações conjuntas, de visibilidade pública, planeadas e organizadas” pelas associações.