Militares norte-americanos e afegãos foram alvejados quando realizavam uma operação na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão, disseram este sábado as forças armadas dos Estados Unidos.

O porta-voz militar dos Estados Unidos, coronel Sonny Leggett, disse num comunicado que os militares afegãos e norte-americanos estavam “debaixo de disparos diretos”. “Estamos a avaliar a situação”, disse Leggett, sem avançar se houve vítimas e sem dar outros detalhes.

Os talibãs e elementos do grupo Estado Islâmico operam na província oriental de Nangarhar. O incidente militar ocorre quando os EUA procuram encontrar um fim para a guerra no Afeganistão, que dura há 18 anos e que é o conflito mais longo em que este país participa.

O enviado norte-americano para as negociações de paz, Zalmay Khalilzad, reuniu-se nas últimas semanas no Médio Oriente com representantes dos talibãs, mais precisamente no Catar. Khalilzad procura chegar a um acordo para que as hostilidades diminuam e que permita chegar a um acordo de paz que possibilite dar início às negociações entre os afegãos que estão divididos pelo conflito.

O presidente norte-americano, Donald Trump, na terça-feira, no discurso sobre o Estado da União falou das negociações de paz no Afeganistão e disse que os soldados dos EUA não deveriam servir como “agências para a aplicação da lei” noutros países. “No Afeganistão, a determinação e o valor de nossos militares permitiram-nos fazer um progresso tremendo”, disse Trump, adiantando que “as negociações para a paz prosseguem”.