Há muito que os comboios alimentados electricamente substituem os que recorrem aos grandes motores diesel, uma solução que exige um forte investimento, na catenária, que depois compensa pelos menores custos de utilização e ausência de emissão de poluentes. Conceber um comboio eléctrico a bateria surge teoricamente como uma solução menos interessante, tanto sob o ponto de vista de custos como de versatilidade. Porém, foi exactamente isto que a Alstom concebeu para uma região alemã.

O objectivo é ligar Leipzig a Chemnitz, 80 km de linha férrea não electrificada, que actualmente é servida por comboios com motores a gasóleo. Para os substituir por unidades menos poluentes, a Alemanha encomendou à Alstom 11 comboios Coradia Continental BEMU, eléctricos mas que não necessitam de catenária, uma vez que são alimentados pela energia que armazenam nas baterias que transportam a bordo. O investimento dos responsáveis germânicos ronda os 100 milhões de euros, com os veículos a serem entregues até 2023.

A Alstom não avançou qual a capacidade da bateria, mas sim que o comboio em causa tem uma autonomia máxima de 120 km. Com 56 metros de comprimento e 150 assentos por carruagem, o Coradia Continental BEMU consegue atingir 160 km, sendo similar aos veículos que estão ao serviço de Dresden, Riesa e Zwickau, mas com baterias, que a Alstom apelida de “alto rendimento”, no topo das carruagens.