Chamando-se a si próprio “desprezado” nos Óscares, Adam Sandler viu no discurso de vitória de melhor ator principal dos Independent Spirit Awards, uma oportunidade para apontar o dedo à Academia. Este sábado — um dia antes da cerimónia dos Óscares e naquele que é o último evento de prémios antes de serem entregues as estatuetas douradas — o ator recebeu o prémio pelo filme da Netflix “Diamante Bruto”, bem recebido pela crítica, no qual faz um papel igualmente aclamado. Ainda assim, insuficiente aos olhos da Academia para ser nomeado.

[Veja aqui o discurso de vitória do ator Adam Sandler]

Adam Sandler começa por contar que “há algumas semanas”, quando foi “desprezado pela Academia”, lembrou-se dos seus tempos de estudante. Nomeadamente que, também na altura, foi “esquecido na cobiçada categoria de melhor aparência, no livro do ano da escola“. Mas, em contrapartida, ganhou o prémio de melhor personalidade. É então que o ator faz a sua analogia:

Esta noite, ao olhar em torno desta sala, percebo que o Independent Spirit Awards é o melhor prémio de personalidade de Hollywood”

Depois dirige-se a “todos aqueles filhos da mãe que vão ganhar o seu Óscar amanhã à noite”: “A vossa boa aparência irá desaparecer com o tempo, enquanto as nossas personalidades independentes irão brilhar para sempre”.” Queria também dirigir-me aos meus colegas nomeados, que serão para sempre conhecidos como os gajos que perder contra o raio do Adam Sandler”, disse ainda.

[O desempenho de Adam Sandler e os Óscares foram os temas principais do Pop Up desta semana, programa da Rádio Observador sobre cultura pop. Ouça aqui as apostas de Bruno Vieira Amaral, Maria Ramos Silva, Pedro Boucherie Mendes e Tiago Pereira]