Um homem britânico que terá contraído o coronavírus durante uma viagem de negócios, para participar numa conferência em Singapura, poderá estar na origem de pelo menos sete novos casos na Europa. O homem esteve num resort de esqui nos Alpes antes de voltar para casa e, aí, poderá ter contagiado uma família de cinco pessoas, também inglesa, incluindo uma criança de nove anos, avançou o The Guardian.

O empresário terá voltado ao Reino Unido no dia 28 de janeiro e, quando foi diagnosticado, passou a ser tratado no Hospital St. Thomas, em Londres. Está em curso uma investigação internacional a todos os que estiveram presentes na conferência ou que tenham tido contacto com o homem em questão.

Segundo a ministra da Saúde francesa, Agnès Buzyn, citada pelo mesmo jornal, nenhum dos pacientes está em estado crítico, nem a família nem as outras seis pessoas que estavam no resort e que também estão sob observação em hospitais franceses.

Além destes, as autoridades espanholas anunciaram no domingo que um homem ficou infetado após ter estado em contacto com uma pessoa infetada em França. Ainda no mesmo dia, as autoridades de Saúde britânicas anunciaram o quarto caso de coronavírus, informando que este foi contaminado em França por um britânico.

Estes dois casos estão, segundo o oficial de Saúde sénior francês, Jerome Salomon, relacionados com o grupo de cinco pessoas que estavam hospedadas no chalé em Les Contamines-Montjoie, nos Alpes.

A conferência na qual o homem suspeito de ter deixado um rasto de casos de coronavírus foi infetado teve lugar no hotel Grand Hyatt, em Singapura, no início de janeiro. Segundo escreve o The Guardian, o evento criado por uma companhia multinacional terá contado com a presença de 15 pessoas de Singapura e 94 estrangeiros.