Já foram arquivados seis processos disciplinares na Ordem dos Médicos contra o obstetra que não detetou as graves malformações do bebé que nasceu em outubro de 2019, no Hospital de Setúbal.

Segundo o Correio da Manhã, que avança com a notícia esta terça-feira, o sexto processo foi arquivado no dia 7 de janeiro de 2020 e dizia respeito a uma mulher cuja patologia não teria sido diagnosticada por Artur de Carvalho. O Conselho Disciplinar Regional Sul da Ordem dos Médicos considerou que não houve nenhuma infração por parte do especialista.

O bastonário da Ordem dos Médicos revelou, em dezembro, que Artur Carvalho tinha 14 processos pendentes na Ordem.

De acordo com o Correio da Manhã, um dos casos que ainda falta analisar é o do bebé Rodrigo, que nasceu no Hospital de Setúbal sem olhos, sem nariz e sem uma parte do crânio. O Ministério Público de Setúbal também está a investigar este caso, mas o obstetra ainda não foi ouvido.